sábado, 19 de novembro de 2016

Alunos Homenageiam Zumbi dos Palmares. Artigo da Secretária da SEPPIR Luislinda Valois: Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra. Zumbi Vive! Viva Zumbi!

No Brasil, a  Lei Federal Nº 12.519, de 10 de Novembro de 2011, institui o Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra, a ser comemorado, anualmente, no dia 20 de novembro, data da morte do líder negro Zumbi dos Palmares, nosso  Herói da Resistência. 


Zumbi dos Palmares é símbolo da luta contra a escravidão e exploração do povo negro, transportado em massa para o Continente Americano de forma compulsória.  O 20 de Novembro homenageia esse herói quilombola, líder do maior quilombo do período colonial, o Quilombo dos Palmares, localizado na Serra da Barriga, no estado de Alagoas. 

Os alunos do Colégio Estadual Rapfael Serravalle, em Salvador, capital da Bahia, homenagearam com muito entusiamo e orgulho o líder negro.  Vestiram-se a caráter, como verdadeiros  Deuses Africanos, orgulhosos da ascendência da  Mãe África.  

O aluno Isaque Braga  com sua  linda partner,  Paloma Alves, ambos alunos do 1o. ano "H", arrasando no desfile, a exemplo do que faz nas provas, estudioso e disciplinado  que é.  Parabéns à linda dupla ! 
A celebração da data nas escolas tem um imensurável significado, e serve para ampliar a luta contra todas as formas de preconceitos e discriminações, além de  reafirmar a importância do respeito às diferenças.  

Foto: Luiz Alves - Ascom/SEPPIR 





Em Brasília,  a Secretária  de 
Políticas de Promoção da Igualdade Racial, do  Ministério da Justiça e Cidadania, a Desembargadora baiana, Luislinda Valois, publicou o artigo abaixo, para celebrar a data. 




Leia com atenção a transcrição do artigo na sua íntegra, incluindo o título e a foto ao lado.  O texto tem um conteúdo  muito rico e significativo.  Compartilhe! 





Artigo da Secretária Luislinda: Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra


" No dia 20 de novembro, celebramos o Dia Nacional de Zumbi dos Palmares e da Consciência Negra. A data, instituída pela Lei 12.519, é importante para os negros brasileiros, e faz com que reflitamos sobre a nossa inserção na sociedade.

Neste contexto de busca por inclusão, cito a importância das ações afirmativas, que são políticas públicas com a finalidade de corrigir desigualdades raciais acumuladas ao longo dos anos. As cotas se enquadram nesse item.

Uma ação afirmativa pode ser de três tipos: com o objetivo de reverter a representação negativa dos negros; para promover igualdade de oportunidades; e para combater o preconceito e o racismo.

Entre os exemplos dessa política, podemos destacar a Lei ° 12.711, que dispõe sobre o ingresso nas universidades federais e nas instituições federais de ensino técnico de nível médio; e a Lei n° 12.990, que prevê a reserva de 20% das vagas em concursos públicos federais para pessoas que se autodeclarem pretas ou pardas.

Em alusão à data, aproveito para ressaltar outras ações de enfrentamento ao racismo.

A aprovação do Estatuto da Igualdade Racial (Lei 12.288) pode ser considerada um marco. O documento é destinado a garantir à população negra a efetivação da igualdade de oportunidades, a defesa dos direitos étnicos individuais, coletivos e difusos e o combate à discriminação e às demais formas de intolerância étnica e religiosa.

Em continuidade às políticas, destaco os programas retomados durante esta gestão. Entre eles, o Plano de Enfrentamento à Violência contra a Juventude Negra, o JUVENTUDE VIVA; o Programa Brasil Quilombola (PBQ); e o Sistema Nacional de Promoção da Igualdade Racial, o SINAPIR.

Chamo a atenção também para as ações que se encontram em processo de implementação. Acrescento que elas incluem o combate ao Holocausto da juventude negra, políticas em prol das mulheres encarceradas, e cotas nas bancas de verificação dos concursos e no quinto constitucional.

Mapeamento de terreiros, enfrentamento à discriminação contra religiões de matriz africana e criação de delegacias contra crimes raciais complementam a lista de projetos.

O Brasil avançou em políticas voltadas às pessoas negras, mas é preciso avançar ainda mais. Enquanto houver qualquer resquício de discriminação, continuaremos na luta, em busca de mudanças.

Acima de tudo, o que eu mais quero são oportunidades para a nossa gente, pois somos capazes, só faltam oportunidades.

Um viva aos nossos guerreiros e guerreiras do passado e dos dias atuais. Viva Zumbi dos Palmares! Viva Dandara! Viva o povo negro do Brasil e do mundo! " 

Fonte: Site da Secretaria de  Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Ministério da Justiça e Cidadania. Clique aqui 

Veja as fotos da celebração.  Clique sobre a foto para ampliar. 

Ao centro, entre os alunos, vestida de branco, a coordenadora Pedagógica Silvana Guimarães, com um turbante providenciado  pelas mãos hábeis e expertise das alunas.
 A Coordenadora Silvana  com os Deuses Negros 
O Corpo de Jurado formado por Professores da escola, analisam  o desfile das duplas com seus belos trajes. O Professor de História Adriano Pontes  vibrava a cada performance, acompanhado por sua esposa, a Profa. de Inglês  Alessandra (blusa lilás), seguidos pelos demais jurados, incluindo a  merendeira Jô (de tiara verde).  
As duplas perfiladas diante do Juri. 
O aluno David Nilson Borges,  do 1o. ano "J", muito educado e gentil, com sua linda partner,  Yasmin Letícia Souza. Lindos desenhos.  Parabéns! 
Quanta gente linda ! E os turbantes... ? Um arraso ! 
Amarrações, maquiagens,  pintura do corpo... Tudo feto na quadra, na hora !
 Muito habilidosas. Parabéns !
A plateia atenta a tudo, além de muito alegre e participativa

Fotos e texto: Profa. Claudia Martins 

20 de Novembro é feriado oficial  em 1.044  cidades brasileiras

A lista completa de 1.044 cidades brasileiras onde dia 20 de novembro é feriado oficial, com a respectiva lei que regulamenta a data,  pode ser conferida em levantamento realizado pela Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) de 2014.

Na Bahia, apenas três municípios  têm o Dia da Consciência Negra no calendário oficial de comemorações: Alagoinhas, Camaçari e Serrinha,  determinado por lei municipal. 

Em Salvador, cidade que tem o maior contingente de negros fora do continente africano, a data é lembrada nas escolas e por  grupos de militantes que promovem a lavagem da Estátua de Zumbi, na Praça da Sé, centro histórico da capital da Bahia.

São Paulo: não há uma lei estadual que determine o feriado de 20 de novembro no estado. Entretanto, a data está no calendário oficial de 102 cidades por leis municipais, incluindo a capital São Paulo.

Rio de Janeiro: lei estadual de 2002 garante o feriado do Dia da Consciência Negra em todos os municípios fluminenses.


 Adaptado da fonte: EBC   - Empresa Brasileira de Comunicações 

Amplie seus conhecimentos. Veja também:

 Projeto Mãe Africa: uma herança cultural. Personalidades Negras Que Marcaram a História do Brasil. Homenagens ao Dia da Consciência Negra  

https://serravallenaafricadosul.blogspot.com.br/2012/10/projeto-mae-africa-uma-heranca-cultural.html

Mulheres Símbolos da Resistência Contra a Escravidão Negra: Rainha Ginga ou Nzinga Mbandi Ngola em Angola, Teresa de Benguela no Mato Grosso, Luíza Mahim na Bahia, Dandara em Alagoas

https://serravallenaafricadosul.blogspot.com.br/2014/10/mulheres-simbolos-da-resistencia-contra.html

Cultura afro-brasileira: Luiz Gama, Luíza Mahin, João de Deus, Lucas Dantas, Manuel Faustino, Luís das Virgens e João Cândido. Herois Negros no Livro dos Heróis da Pátria no Panteão da Liberdade



Sites consultados


Site da Secretaria de  Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Ministério da Justiça e Cidadania. Acesso em 19/11/2016. 

Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei nº 12.519, de 10 de Novembro de 2011. Acesso em 19/11/2016
EBC   - Empresa Brasileira de Comunicações 

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Professores e Alunos Promovem Festa do Halloween no Serravalle_ Dramatizações, Coreografias, Muita Criatividade e Animação

Belas e criativas fantasias, decoração e dramatizações inspiradas  em filmes famosos, ligados à celebração do Halloween e ao gênero de terror,  marcaram presenças na Festa do Dia das Bruxas do Colégio Estadual Raphael Serravalle em Salvador.  Professores, a Coordenação Pedagógica, Gestores, Alunos e Funcionários fizeram uma animada festa. 


A iniciativa dos Professores de Língua Estrangeira  contou com a adesão dos demais, resultando numa atividade multidisciplinar que encantou a todos pelo entusiasmo dos alunos.  Parabéns, turma ! Vocês  são  o nosso orgulho ! 

Confira os melhores momentos nas fotos. Afinal,  “uma imagem vale mais que mil palavras”  ("a picture is worth a thousand words"),  diz o dito popular atribuído ao filósofo chinês Kunf Fu Tsé (Confúcio, 552-479 a.C.).  Clique nas imagens para ampliar. 
O Corpo de Jurados composto por Professores e a Coordenação Pedagógica,  presidido
pelo Diretor Geral da Unidade, Prof. Ramilton Cordeiro, sob a locução da Prof. Ilana Pedreira, de Inglês (de costas). 
Da direita para a esquerda: Profa. Soraia Spiller (Espanhol), a Coordenadora Silvana Guimarães (de chapéu), as Professoras  Nadja Silva (Port. e Espanhol), Graça Cintra (Matemática) e Moema Sampaio (Português)  atentas às performances dos alunos
Após as performances, a festa continuou  animada por "DJ"
 na Quadra Poliesportiva da escola
Coreografia dos alunos do 3o. Ano do Ensino Médio: Mix de elementos das
 culturas  americana e  
brasileira.
Estamos na Era da Globalização. Viva o multiculturalismo! 

Um dos mais populares símbolos da festa do Halloween é a Abóbora do Dia das Bruxas, apelidada nos EUA de   Jack-o'- lantern, que  envolve  vários ritos: compra da abóbora, retirada  das partes internas, esculpir uma face assustadora e, à noite,  acender uma vela dentro.  Em várias cidades norte-americanas ocorrem exposições e concursos para eleger a abóbora mais assustadora ou criativa.
Nossos alunos foram geniais e capricharam,  como se pode constatar nas imagens, que não mentem ! 


Saiba mais sobre a Origem e significado da Festa do Halloween nos países de Língua Inglesa. Clique no link abaixo. Compartilhe! 

O Halloween: História e Origem do Dia das Bruxas, Símbolos e Tradições. O Halloween no Brasil: críticas e criação do Dia do Saci


https://serravallenaafricadosul.blogspot.com.br/2015/10/o-halloween-historia-e-origem-do-dia.html

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Africanidades. História da Capoeira e do Berimbau nas Telas de Debret e Rugendas. A Lenda do Berimbau. Música Paranauê. Atividades

Berimbaus. Imagem


A Diáspora Africana deixou  marcas indeléveis no  Novo Mundo, onde os africanos chegaram compulsoriamente, a partir do século XVI. O Legado vai da macroeconomia, à formação étnico-cultural dos povos da América, alcançando o esporte, a música e a dança, como a Capoeira, ao som do instrumento musical chamado Berimbau.

A chegada ao Brasil do Rei D. João VI acompanhado da Corte Portuguesa, em Janeiro de 1808 (início do século XIX), fugindo da invasão de Napoleão Bonaparte, resultou em grandes transformações para a Colônia do Novo Mundo, promovida à Sede do Governo Português.
O Rei D. João VI 

Em 1815, o Brasil foi elevado à categoria de Reino Unido a Portugal e Algarves (região sul de Portugal), adquirindo autonomia administrativa, primeiro passo para proclamar sua Independência de Portugal, em 7 de Setembro de 1822. 


Junto com a Família Real vieram escritores e pintores europeus,  com o objetivo de  registrar o cotidiano do “Império  nos Trópicos”, os  aspectos econômicos, sociais e culturais da Colônia, colocando a Arte a serviço da Memória Histórica do Brasil, durante a primeira metade do século XIX. 

Dentre os pintores ou desenhistas, como eram chamados,  destacam-se  o francês Jean Baptiste Debret e o alemão Johann Moritz Rugendas, que nas suas telas registraram importantes fatos da  História do Brasil, principalmente da escravidão negra. 

Ambos registraram nas suas telas a vida dos nativos indígenas e dos negros,  nas quais estão a Capoeira e o Berimbau, indicando a origem africana do instrumento e da luta, como podemos ver nas imagens. Nas telas o berimbau é visto acompanhando a dança ou luta marcial ou acrobática chamada capoeira. 

Rugendas 
Debret 
O berimbau é um sofisticado instrumento   musical  de percussão   trazido da Angola (mbirimbau), país situado no Oeste da África, ex-colônia de Portugal, que também fala o português. 

É  capaz de emitir várias sonoridades (18 tons diferentes) .  Seu  arco em madeira  vem de um arbusto chamado biribá ou cabaça, muito comum no Nordeste e fácil de envergar.  
Veja nas imagens abaixo. 


A origem do berimbau é controversa, pois integra o grupo de instrumentos musicais  do modelo de arco, um dos primeiros  usados pelo homem para produzir sons, há cerca de  20 mil anos, quando  o arco  era usado para atirar flechas. Daí vem o "Arco Musical", antecessor do berimbau.  O instrumento ganhou a forma que tem hoje entre as antigas tribos  africanas.  Acredita-se  que chegou  ao Brasil já em 1538 (século XVI), junto com os primeiros escravos. Aqui, ele passou a ser identificado como elemento típico da capoeira. 

Im
Uma roda de capoeira autêntica  pode ter três berimbaus,  com  diferentes  tamanhos de cabaça (sua caixa de ressonância), cada um com uma função mais ou menos definida. Quanto maior, mais grave o som. 

É fundamental na capoeira, sendo reverenciado pelos capoeiristas  antes de iniciarem um jogo. Alguns o consideram um instrumento sagrado, que comanda a roda de capoeira, dita o ritmo e o estilo de jogo. 

São dados nomes às variações de toques e, quando repetidos, diz-se que está jogando a capoeira daquele estilo. As variações mais comuns são "Angola" e "São Bento Grande".  Para tocar berimbau é preciso dominar seus componentes, que são: 
Imagem

1- Baqueta -   vareta de madeira em formato de arco, que mede entre 30 e 40 cm.  É batida contra a corda para emitir o som;

2- Dobrão - normalmente é uma moeda velha - mas há quem use uma pedra. Ela é segurada entre o polegar e o indicador da mão esquerda e faz variar as notas emitidas pelo berimbau, dependendo da pressão que faz na corda;

3 - Cabaça (escreve-se com "ç") -  vem fruto seco e limpo da cabaceira (árvore comum no Nordeste do Brasil). Tem o formato de uma cuia e funciona como caixa de ressonância;

4- Verga - arco de madeira com cerca de 1,60 m de comprimento feito geralmente do caule de um arbusto chamado biribá, comum no Nordeste; 

Frutos secos da cabaça 
A árvore da cabaça 
e seus frutos verdes
5- Arame de aço (corda) bem esticado costuma ser arrancado de pneus radiais;

6- Caxixí - pequeno chocalho  com pedrinhas, sementes ou búzios que reforça a marcação do ritmo.


Vamos Praticar ? 

 Identifique  componentes  do berimbau  na lenda abaixo. 

A Lenda do Berimbau

Uma menina saiu a passeio. Ao atravessar um córrego abaixou-se e tomou a água no côncavo das mãos. No momento em que, sofregamente, saciava a sede, um homem deu-lhe uma forte pancada na nuca. Ao morrer, transformou-se imediatamente num arco musical: seu corpo se converteu no madeiro, seus membros na corda, sua cabeça na caixa de ressonância e seu espírito na música solene e sentimental.

Assista vídeo da TVE - Bahia, mostrando toques, fabricação e  origem do berimbau
http://www.irdeb.ba.gov.br/tve/catalogo/media/view/4088

Acompanhe as imagens dos pintores europeus e faça suas leituras !

Nas telas de Debret e Rugendas o berimbau aparece sendo  usado pelos "escravos de ganho"  atraindo  os clientes para os doces que vendiam nas ruas, além de animar as danças e lutas dos negros. "Escravo de Ganho" era aquele que tinha permissão de vender ou prestar serviços na rua. Em troca, deveria dar uma porcentagem dos lucros a seu dono. Na África, o berimbau  serve de acompanhamento musical em rituais fúnebres,  onde é  conhecido com o nome de Hungu, e em Portugal  como Berimbau de Peito.


Aquarela de Augustus Earle, 1820-1824. Negros Lutando. 
(© Australian National Library). Imagem
Debret. Voyage Pittoresque et Historique au Brésil. 1824.
Paris. Didot Firmin et Fréres


             Jean-Baptiste Debret, 1826. O Velho Orfeu Africano. Oricongo. 
Aquarela  sobre papel.  15.60 x 21.50 cm.  Biblioteca Nacional, Rio de Janeiro.
 "Escravo de ganho" tocando  berimbau para chamar atenção dos clientes.
Rugendas. Batuque. Litogravura. 1835. 
Reprodução fotográfica de autoria desconhecida
RUGENDAS, J.M. Voyage pittoresque et historique dans le Brasil
"Jogar Capüera ou Dance de la Guerre". 1835. Paris: Engelmann et Cie. 
Crianças tocando berimbau
e dançando capoeira. Imagem

A Capoeira 

A palavra capoeira não é de origem africana. Vem do tupi kapu’era. Trazida para o Brasil pelos negros, a capoeira foi desenvolvida nos quilombos de Pernambuco no século XVI. 
As características de luta e dança adquiridas no país podem classificá-la como uma manifestação cultural genuinamente brasileira, na qual o som do berimbau comanda o ritmo dos movimentos do capoeirista, como podemos constatar nas imagens acima. 

Dance a capoeira ao som da  Música Paranauê.   Grupo Capoeira Angola. Clique no link:

Versos                             Música Paranauê.          Grupo Capoeira Angola. 

01
Vou dizer minha mulher, Paraná
Capoeira me venceu, Paraná.

06

Eu aqui não sou querido, Paraná
Mas na minha terra eu sou, Paraná.
               (Refrão)


02
                       Refrão
Paranauê, paranauê, Paraná           
Paranauê, paranauê, Paraná.

07



Cantando com alegria, Paraná
Mocidade es, Paraná.
                 (Refrão)

03
Vou me embora pra favela, Paraná
Como já disse que vou, Paraná.
               (Refrão)

08

O enfeite de uma mesa, Paraná
É um garfo e uma colher, Paraná
                 (Refrão)

04

É deveras que o morro, Paraná
Se mudou para cidade, Paraná


09

O enfeite de uma cama, Paraná
É um homem e uma mulher, Paraná
                (Refrão)

05
Vou me embora dessa terra, Paraná
Como já disse que vou, Paraná.
               (Refrão)

10

Mulher pra ser bonita, Paraná
Não precisa se pintar, Paraná
               (Refrão)

Fonte:   https://www.letras.mus.br/grupo-capoeira-angola/1266182/

Amplie seus conhecimentos. Veja também:

História e Memórias da Escravidão Negra nas Telas dos Pintores Debret e Rugendas. O 13 de Maio de 1888  

https://serravallenaafricadosul.blogspot.com.br/2015/05/historia-e-memorias-da-escravidao-negra.html

 10 Raras Fotografias de Escravos Brasileiros Feitas Há 150 Anos Atrás 

https://serravallenaafricadosul.blogspot.com.br/2015/06/10-raras-fotografias-de-escravos.html



Berimbau


Atividades 

1. Como os pintores  Debret e Rugendas escreveram nas suas pinturas a História do Brasil do século XIX. Pesquise as biografias dos dois pintores. 

2. O berimbau e a capoeira foram trazidos para o Brasil pelos africanos.  Quais são as partes do berimbau ?

3. Qual o nome da árvore de onde vem o arco do berimbau? 

4. Escreva um texto falando das origens do berimbau e da capoeira. 


D. Pedro I Imperador do Brasil,
filho do Rei  D. João VI

5Além de Rugendas e Debret que outro autor mostra a capoeira no Brasil do século XIX ?
6. O que você sabe sobre o Imperador D. Pedro I  e seu pai D. João VI? 

7. Quantas telas de Rugendas e quantas de Debret falam fazem referência ao berimbau e à capoeira ?Quais são elas ?
8. Escolha uma de cada autor  e escreva um texto sobre cada uma delas. 
9. Copie o texto da lenda do Berimbau. Ilustre com as partes do instrumento ali citadas. 
10. Pinte o berimbau e os capoeiristas abaixo:

Homens jogando capoeira 





             









Sites Consultados 

Fonte das telas de Debret e Rugendas: Enciclopédia Itaú Cultural.
História da Capoeira
http://www.capoeiratorino.it/historia.htm
http://revues.mshparisnord.org/cultureskairos/index.php?id=541
Blog Professor gordinho.  A Lenda do Berimbau
http://professorgordinho.blogspot.com.br/2013/01/a-lenda-do-berimbau.html
Revista de História
http://www.revistadehistoria.com.br/secao/artigos/berimbau-universal
Mundo Estranho. como surgiu o berimbau

http://mundoestranho.abril.com.br/materia/como-surgiu-o-berimbau
http://www.nestorcapoeira.net/galeria.htm
Todas as imagens são do Google.